Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.23/371
Título: A infecção peri-natal por Streptococcus agalactiae pode ser evitada: prevalência da colonização em parturientes no Hospital de S. Marcos, factores de risco e sua relação com a infecção peri-natal
Autor: Areal, A
Nunes, S
Moreira, M
Faustino, MA
Cardoso, L
Sá, C
Palavras-chave: Complicações Infecciosas na Gravidez
Streptococcus agalactiae
Infecções por Streptococcus
Data: 2010
Citação: Acta Ped Port. 2010;41(1):16-21
Resumo: ntrodução: O Streptococcus agalactiae (SGB) é o agente mais frequente de infecção neonatal precoce, sendo possível a sua prevenção. Em Portugal é desconhecida a prevalência de mulheres colonizadas por SGB. O estudo da Unidade de Vigilância Pediátrica refere uma prevalência nacional de infecção neonatal por SGB de 0,5:1000 nados-vivos. Objectivo: Determinar a prevalência da colonização materna e da infecção perinatal por SGB no Hospital de S. Marcos, Braga (HSM), de modo a avaliar a importância da implementação do rastreio universal e o uso de medidas profiláticas. Método: De 1 de fevereiro a 31 de julho de 2005 foi realizado um estudo transversal com análise de coortes anichada, avaliando todas as grávidas assistidas para trabalho de parto no HSM e respectivos recém-nascidos. Os dados foram submetidos a análise estatística bi-variada pelo teste do qui-quadrado, com um nível de significância de 5% (p<0,05). Resultados: A prevalência da colonização nas grávidas rastreadas na região de Braga foi de 34,9 % [intervalo de confiança a 95% (IC95%), 31,5-38,3%]. No HSM o diagnóstico de infecção neonatal precoce por SGB ocorreu em 9:1000 recém-nascidos. O risco relativo de ocorrência de infecção perinatal entre os recém-nascidos dos grupos de mães rastreadas e não rastreadas foi de 0,3 [IC95% 0,2,7-0,32]. Conclusão: O rastreio bacteriológico positivo para colonização materna por SGB associado à adequada profilaxia intra-parto reduziu significativamente a infecção neonatal precoce, em relação ao grupo de gestantes não rastreadas (p=0,014). Consideramos que é recomendável a instituição do rastreio universal das grávidas e a profilaxia adequada quando indicada.
Peer review: yes
URI: http://comum.rcaap.pt/handle/123456789/3510
http://hdl.handle.net/10400.23/371
Aparece nas colecções:HB - GIN OB - Artigos
HB - PAT CLIN - Artigos
HB - PED - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
A infecção peri-natal por Streptococcus agalactiae pode ser evitada.pdf261,76 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.